sexta-feira, 23 de junho de 2017

A base dos 5 Pontos Arminianos, em Armínio.





Embora a famosa expressão “os cinco pontos do arminianismo” tenha a ver com Jacó Armínio, ela só surgiu depois da morte desse exímio teólogo através de um documento que levou o nome de Remonstrância escrito por “quarenta e seis ministros e leigos holandeses respeitados”1 chamados de Remonstrantes. Nesse documento, havia e há, 5 artigos que, fizeram e fazem, oposição aos ensinos do teólogo francês João Calvino (o sistematizador da doutrina Calvinista), contidos, por exemplo, nas Institutas da Religião. Vejamos:

    Art. I
Que Deus, por um decreto eterno e imutável em Cristo, antes que o mundo existisse, determinou eleger para a vida eterna, dentre a raça caída e pecadora, aqueles que, através de sua graça, creem em Jesus Cristo e perseveram na fé e obediência; e que, opostamente, resolveu rejeitar os inconversos e os descrentes para a condenação eterna (João 3:36);

    Art. II
Que, em decorrência disso, Cristo, o Salvador do mundo, morreu por todos e cada um dos homens, de modo que ele obteve, pela morte na cruz, reconciliação e perdão pelo pecado para todos os homens; de tal maneira, porém, que ninguém senão os fiéis, de fato, desfrutam destas bênçãos (João 3:16, I João 2:2);

    Art. III
Que o homem não podia obter a fé salvífica de si mesmo ou pela força de seu próprio livre-arbítrio, mas se encontrava destituído da graça de Deus, através de Cristo, para ser renovado no pensamento e na vontade (João 15:5);

   Art IV
 Que esta graça foi a causa do início, desenvolvimento e conclusão da salvação do homem; de forma que ninguém poderia crer nem perseverar na fé sem esta graça cooperante, e consequentemente todas as boas obras devem ser atribuídas à graça de Deus em Cristo. Todavia, quanto ao modus operandi desta graça, não é irresistível (Atos 7:51);

    Art. V
Que os verdadeiros cristãos tinham força suficiente, através da graça divina, para enfrentar Satanás, o pecado, o mundo, sua própria carne, e a todos vencê-los; mas que se por negligência eles pudessem se apostatar da verdadeira fé, perder a felicidade de uma boa consciência e deixar de ter essa graça, tal assunto deveria ser mais profundamente investigado de acordo com as Sagradas Escrituras. 2

            Esses artigos atualmente são intitulados pelos os seguintes nomes, a saber, Depravação Total, Eleição Condicional, Expiação Ilimitada, Graça Resistível e Perseverança ou Preservação dos Santos. Embora Jacó Armínio não tenha escrito os artigos supracitados, ele escreveu a base para os tais em suas Obras. Vejamos alguns textos que fazem parte dessa base:  


Depravação Total

 “O livre arbítrio é incapaz de iniciar ou de aperfeiçoar qualquer bem verdadeiro e espiritual sem, a graça. Para que eu não possa ser considerado, como Pelágio, como usando de mentiras com respeito à palavra "graça", quero dizer, com isto, aquilo que é a graça de Cristo e que diz respeito à regeneração.” Vol 2. P. 554 PDF.

Eleição Condicional

"...Deus não pode 'amar previamente e considerar, afetuosamente, como seu', a nenhum pecador, a menos que Ele o conheça previamente em Cristo, e o considere como um crente em Cristo." Vol 3. P. 376 PDF.

Expiação Ilimitada

"Portanto, Cristo também morreu por todos, sem nenhuma distinção entre eleitos e reprovados. Vol 3. P. 531 PDF.

Graça Resistível

"Por que as representações da graça que as Escrituras contêm são descritas como podendo ser resistidas (At 7:51) e recebidas em vão (2Co 6:1);...". Vol 1. P. 257 PDF.

Perseverança ou Preservação dos Santos

"Se Davi tivesse morrido no momento em que pecou contra Urias por adultério e homicídio, ele teria sido condenado a morte eternal." Vol 2. P. 589 PDF.3

___________________
1- <https://arminianismo.wordpress.com/2012/09/05/o-que-foi-a-remonstrancia/>
2-< https://historiadaigreja.space/2014/09/03/os-cinco-pontos-do-arminianismo-remonstrancia/>
3- As obras de Armínio. 2015. CPAD. PDF.

domingo, 28 de maio de 2017

O Exemplo de Maria





Certa vez Jesus esteve na cidade de Betânia, mais precisamente na casa de Simão. E de forma espontânea apareceu uma mulher por nome de Maria a qual Lhe derramou um vaso de Nardo Puro da cabeça (Mt 26: 7; Mc 14:3) aos pés (Jo 12:3). Após ler a narrativa bíblica de forma paralela, duas coisas me chamaram  a atenção.
A primeira coisa foi a falta de avareza que esta mulher tinha (Lc 12:15), pois, o que ela havia acabado de "gastar" com Jesus não era um simples perfume, mas um perfume que poderia ser vendido por mais de 300 denários, isto é,  mais de 300 diárias trabalhadas (Mc 14:5). Se calcularmos o valor de 300 diárias de um pedreiro aqui de Caicó-RN, sabendo que cada diária custa R$ 120,00, por exemplo, teremos um total de R$ 36.000,00. Em outras palavras, ela livremente, já que Jesus nem se quer pediu, abriu mão de  tamanho valor para então dar ao seu Senhor.
A segunda coisa que me chamou a atenção foi o fato de Jesus dizer que o feito dessa mulher seria lembrado toda vez que o Evangelho fosse pregado (Mt 26:13; Mc 14:11). Certamente para Deus ela não tinha apego material. Seu Deus não era mamom. Essa reflexão é para sempre lembrarmos que, embora estejamos vivendo num sistema extremamente  capitalista, jamais devemos deixar de ofertar a Deus o melhor, seja com a vida ou com o dinheiro, ainda que isso pareça loucura para alguns (Mt 26: 8; Mc 14:4). Cada um contribua segundo o desejo do seu coração, pois Deus ama quem com alegria assim procede (1Co 9:7).

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Coelho ou Cordeiro ?





Neste mês de abril, será comemorada uma das datas mais famosa do mundo, a saber, a da Páscoa. Porém, a forma como essa data é comemorada em nada se parece com o episódio original que deu origem ao nome. Pois bem, a palavra páscoa vem do hebraico פֶּ֥סַח (heb.pesach) cujo significado é - passar por cima. A Bíblia conta que após a nona negação de Faraó para libertar o povo de Deus que estava escravizado sob sua administração, Deus resolveu enviar a última e definitiva praga, isto é, enviar um anjo do Senhor, aquele que viria para eliminar todos os primogênitos do Egito (Ex 12:12). Contudo, o Senhor falou a Moisés e a Arão que instruísse o seu povo a sacrificar um cordeiro imaculado, e passar o seu sangue nas ombreiras das suas portas, pois quando o ser angelical viesse e visse o sangue -passaria por cima- e não feriria os primogênitos dos hebreus. E foi isso o que aconteceu, o sangue do cordeiro imaculado protegeu todos os hebreus do ataque (Ex 12:1-31). Daí por diante os hebreus passaram a comemorar ou relembrar essa vitória que o Senhor lhes deu, haja vista que foi o que resultou na libertação do povo de Deus da escravidão no Egito.
Bem, o sangue do cordeiro morto também era a prefiguração do sangue de Jesus (Cordeiro pascal que tira o pecado do mundo Jo 1:29; 1Co 5:7) que seria vertido na cruz para nos libertar da escravidão do pecado. Com base nisso, podemos dizer que o intuito dos que comemoram atualmente e erroneamente a "páscoa" é tirar Cristo da “jogada”, pois é perceptível que trocaram o Cordeiro pelo o coelho, e o sangue purificador pelos ovos de chocolate, ou seja, o real sentido da páscoa tem sido trocado pelo desejo de ganhar dinheiro com vendas. O capitalismo tem tomado o espaço da Mensagem Bíblica. Trocaram o real pela ficção. A Verdade pela mentira. Jesus por Barjesus (At 13:6). 
Que os homens passem a comemorarem a Verdadeira Páscoa. Deus não dá a sua glória a ninguém (Is 42:8). O amor ao dinheiro é a raiz de todos o males (1Tm 6:10).

...Ao que está assentado sobre o trono e ao Cordeiro sejam dadas ações de graças, e honra, e glória, e poder para todo o sempre... (Ap 5:13)
.
                                                                                                                  Itard Víctor

sexta-feira, 7 de abril de 2017

5 Semelhanças entre Saul e Judas.





A) Ambos foram predestinados e convocados por Deus ao ministério desde o ventre (1Sm 9:15-27; Mt 10:1-4; Jr 1:5; Gl 1:15-16);

B) Ambos serviram como canal de Deus para a realização de sinais e maravilhas (1Sm 10:10; Mt 10);
C) Ambos pecaram contra Deus (1Sm 13:9-14; Mt 27:4);

D) Ambos cometeram suicídio (1Sm 31:4-5; Mt 27:5);

E) Ambos perderam a salvação.